Foto: DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

Ontem estive no evento no Memorial Darcy Ribeiro na Universidade Federal de Brasília, no ato foi lançado o livro “A Resistência ao Golpe de 2016”, A obra reúne, em 450 páginas, textos sobre o processo de impeachment pelo qual a presidente, agora afastada, enfrenta.

O livro conta com textos escritos por advogados, professores, políticos, jornalistas, cientistas políticos, líderes de movimentos sociais, e mais. Entre os participantes há nomes como Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Leonardo Boff, teólogo e escritor, Carina Vitral, presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE) e o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos.
Um dos destaques do evento foi a participação da Presidenta Dilma. O auditório Darcy Ribeiro estava lotado, e na parte de fora um palco, com um telão acolhiam milhares de pessoas, de todos os gêneros, de todas as raças, de todas as idades, com predominância de jovens. A emoção daquele momento estava expressa no rosto de cada participante. Eles sabiam que estavam vivendo a história, participando de um percurso de um golpe de Estado.

12322609_659068544251294_3125854167532875715_o

Entre todos os detalhes e emoções que o momento nos propiciavam, um em especial me chamou a atenção. A firmeza e serenidade de Dilma Vana Rousseff. A minha certeza que não estava diante apenas de uma Presidenta afastada, mas de um ícone da política brasileira jamais conhecida em nosso país.

Dilma transpareceu uma força inenarrável, um olhar de garra digna de heroínas mitológicas. Sua voz muito mais solta e desinibida mostrava que ela estava sobre um conforto naquele ringue de luta que nenhuma outra pessoa estaria. A menina Dilma reviveu seus tempos de sonhos, de batalhar, de utopias. Ela foi torturada na ditadura porque em seu coração a justiça social vem primeiro que a razão. Odeia covardia, odeia pessoas covardes, sabe que tudo o que temos e que teremos é e será fruto de luta.

Foi assim também que superou o câncer, com muita garra, as vezes até teimosia, em recente revelação de áudios Renan Calheiros disse sobre Dilma “Ela tem uma bravura pessoal que é uma coisa inacreditável”.

Eu não sei qual vai ser o desfecho dessa trama golpista, mas uma coisa não tenho dúvidas, esse Golpe tem revelado ao Brasil uma de suas maiores personalidades políticas e humanas de sua história. Obrigado Dilma!

Texto: Jean Volpato

Advertisements