Uma das cenas praticamente abolidas das grandes cidades brasileiras, crianças pedindo esmolas nos sinais, voltam a ser rotina da sociedade brasileira. Especialistas acreditam que após seis meses do anúncio do governo Temer, com o corte de aproximadamente 1 milhão de bolsas famílias contribuíram para esse fato.

Douglas Damolin, especialista em impacto social dos programas governamentais na sociedade, formado pela USP – Universidade de São Paulo, diz que não foi somente o fato de as famílias terem deixado de receber as rendas do bolsa família, mas sim as exigências que o programa fazia para essas famílias. Como por exemplo a obrigatoriedade de as crianças permanecerem nas com frequência escolar comprovada.

“Com a extinção do bolsa família para esses grupos familiares, fez com que os país preferissem colocar seus filhos nos sinais pedirem esmolas, ao deixá-los nas escolas como era exigência do programa governamental”.  Comentou Damolin

Advertisements